Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal :: Boletim 183

CapAdmin janeiro 2, 2012 Nenhum Comentário »
Antes de estudarmos as orações subordinadas substantivas completivas nominais, vamos recordar o que é complemento nominal.
O complemento nominal parece objeto indireto. A diferença é que o objeto indireto completa verbo, e o complemento nominal nunca completa verbo; ele completa um substantivo ou um adjetivo ou um advérbio.
Veja:

Objeto direto ou indireto: complemento nominal

Construí a casa (OD) a construção da casa
Gosto de teatro (OI) gosto por teatro
Amamos a Pátria (OD) amor à Pátria
Confiamos em você (OI) confiança em você
Desconfio dessas palavras (OI) desconfiança dessas palavras

A oração subordinada substantiva completiva nominal, que chamaremos apenas completiva nominal, exerce a função de complemento nominal.
Ex.: A desconfiança/ de que não estivéssemos no porto/ levou-os ao escritório.
O povo tem certeza/ de que nada vai melhorar.
A dúvida/ de que estávamos no lugar certo/ permaneceu.
Sua crença/ em que a criança é brilhante/ torna a esposa feliz.
Ninguém tem necessidade/ de que o prédio seja reformado já.
Estou convicta/ de que você é a pessoa indicada para essa função.
Tenho a impressão/ de que o gerente não gostou da cena.
Fiquei convencida/ de que suas intenções eram as melhores.
Ela tem pressentimento/ de que o negócio vai dar certo.
Você tem medo/ de que o mundo acabe?
Não temos esperança/ de que o caso se resolva.
Somos favoráveis/ a que você seja eleito.

As orações sublinhadas são completivas nominais: completam um nome; exercem a função de complemento nominal.